Archive

Posts Tagged ‘norma B31.3’

TRIFLEX – Treinamento Análise Estática em Agosto

26 de julho de 2011 Leave a comment

Objetivo: abordar os principais recursos do módulo estático e introdução ao módulo dinâmico

Público Alvo: projetistas de tubulação com conhecimento em cálculo de tensões, novos usuários do software TRIFLEX, engenheiros mecânicos, de tubulação, de segurança e de manutenção que estão ingressando na área de análise de flexibilidade de tubulações.

Pré-Requisitos: conhecimentos em ambiente Windows® e projetos de tubulação industrial

Carga Horária: 16 (dezesseis) horas

Conteúdo programático: acesse aqui

Data e Horário: 25 e 26 de Agosto – das 08h30 às 17h30

Inclui: certificado, material didático, almoço e coffee break

Maiores informações através do tel.: (11) 2714-5454 ou pelo e-mail sheila@natecnologia.com.br.

Fiquem atentos!!! A nossa Agenda de Treinamentos já está no nosso, acesse: http://www.natecnologia.com.br/site_pt/treinamentos/treinamento_pt.htm

Por: Sheila Souto

MARCAS: Todos os produtos aqui mencionados são usados somente para fins de identificação, são marcas comerciais e/ou marcas de serviço dos seus respectivos proprietários.

TRIFLEX – Exportando os relatórios em um único arquivo PDF

26 de julho de 2011 Leave a comment

Hoje, vou apresentar pra vocês, uma ferramenta gratuita e indicada pelo desenvolvedor do TRIFLEX, para união dos relatórios gerados na análise.

Quando desejamos exportar os resultados como relatórios, podemos fazer isso, facilmente, através do botão Print (ícone da impressora com um R). Clique no ícone, uma caixa de diálogo é aberta e pode-se selecionar a impressora desejada, inclusive as impressoras que geram arquivos *.pdf.

Há casos em que o usuário TRIFLEX não possui uma ferramenta que utiliza o recurso de appendar, gerando, assim, um arquivo para cada relatório selecionado.

A ferramenta chamada PrimoPDF®, permite unirmos os relatórios em um único arquivo. Após o download e a instalação da ferramenta, podemos selecioná-la para impressão, também, no botão Print do TRIFLEX.

Caixa de diálogo Imprimir com a opção PrimoPDF® selecionada

É importante lembrar que, quando a janela de opções de impressão se abre, devemos selecionar a opção Compressed Print para que as tabelas saiam completas e em uma única folha.

Caixa de diálogo Opções de Impressão

Escolha os relatórios a serem impressos e, ao clicar em Print a janela do PrimoPDF® se abre com a opção para edição do nome e criação de uma senha para o arquivo.

Opções de relatórios para exportação

Selecione a opção Do Nothing no campo Post Process, clique em Create PDF e salve o arquivo.

Janela do PrimoPDF®

Após a impressão do primeiro relatório a janela do PrimoPDF® se abrirá novamente, permitindo a impressão dos relatórios seguintes. Repita o processo acima e salve o arquivo com o mesmo nome do anterior. Selecione a opção Append, que irá unir esse novo arquivo ao anterior.

Janela com opções de salvar o arquivo

Para fazer o download dessa ferramenta, acesse: www.primopdf.com

Por Rodrigo Teixeira.

MARCAS: Todos os produtos aqui mencionados são usados somente para fins de identificação, são marcas comerciais e/ou marcas de serviço dos seus respectivos proprietários.

TRIFLEX – Usando o recurso Release Element através do Sistema de Coordenadas (A, B, C)

20 de julho de 2011 Leave a comment

Hoje vou mostrar como usar o recurso Release Element usando o Sistema de Coordenadas (A, B, C) do software TRIFLEX, e quais são as considerações que devemos tomar, para entrar com os dados no Skewed release Element Direction Angles.

Para usar este recurso devemos considerar:

  1. Que os Eixos A, B, C sejam sempre perpendiculares
  2. Que a caixa de diálogo dos eixos só aceite ângulos entre 0 e 180°
  3. Que esses eixos definam a direção da flexibilidade do elemento
  4. Que, inicialmente, o eixo A seja alinhado com o eixo X, o B com o Y e o C com o Z

Por exemplo, se quisermos inserir um release element, com a direção da flexibilidade deslocada em 10° no sentido anti-horário do plano X-Y, teremos que:

  • Inserir o release element:

Tubulação com o release element

  • Abrir a caixa de diálogo do elemento e definir os ângulos que os eixos A, B, C formam com o sistema de coordenadas X, Y, Z (neste caso usaremos o plano X-Y apenas).

Caixa de diálogo inicial

  • Alteramos a opção Axes Specified para A-B
  • Editamos os ângulos
  • Inserimos 10° na linha A e na coluna X e subtraímos 10° da linha A e na coluna Y.

OBS.: Como os Eixos A, B e C devem ser perpendiculares, temos que compensar a mudança de A e B. Caso isso não seja feito, o TRIFLEX apontará um erro como na imagem abaixo:

Inserção dos Direction Angles na Caixa de diálogo

  • Somamos 10° na linha B e na coluna X e, 10° na linha B e na coluna Y

Inserção dos Direction Angles na caixa de diálogo finalizada

  • Temos agora um sistema válido de eixos parecido com o esquema abaixo:

Sistema de eixos A, B, C em relação ao X, Y, Z

  • Agora basta inserirmos, em cada campo, a rigidez desejada:

Inserção (manual) da rigidez do release element

Você poderá buscar mais informações sobre o software em nosso site, acesse: TRIFLEX.

Por Rodrigo Teixeira.

MARCAS: Todos os produtos aqui mencionados são usados somente para fins de identificação, são marcas comerciais e/ou marcas de serviço dos seus respectivos proprietários.

TRIFLEX – Projetos de tubulações enterradas

5 de julho de 2011 Leave a comment

Hoje, vou falar um pouco sobre projetos de tubulações enterradas no software TRIFLEX.

Quando estamos trabalhando com esse tipo de projeto, são gerados nós intermediários para simular as restrições causadas pelo solo na tubulação, com precisão altíssima.

Ao modelarmos as curvas e um desses nós intermediários for posicionado fora da curva algo em torno de 10-5 in, o software irá retornar uma mensagem relatando que não é possível analisar os resultados. Isso ocorre devido a truncamentos e pequenas imprecisões de cálculos.

O que poderá ser solucionado de duas maneiras:

    • SEGMENTANDO AS CURVAS DO PROJETO – as curvas (elbows) são tratadas no TRIFLEX como dois segmentos de tubulação: um no começo da curvatura até o ponto de intersecção e outro, do ponto de intersecção até ao fim da curvatura. Ao modelar as curvas do projeto com três ou mais segmentos de tubulação (pipe), a precisão da nossa análise será, então, aumentada. Claro que isso gera um trabalho maior no input do projeto e também uma aparência gráfica não tão perfeita, porém, além de aumentarmos a precisão da nossa análise, também evitamos qualquer possibilidade de não apresentação dos resultados; 
    • ALTERANDO, MINIMAMENTE, O RAIO DA CURVATURA – ao selecionar a opção User Defined Radius, na caixa de diálogo do componente Elbow, podemos alterar o raio da curvatura (Bend Radius) e diminuindo-o levemente podemos contornar essa inconsistência.
 
Caixa de diálogo do elemento elbow

 

Você poderá buscar mais informações sobre o software em nosso site, acesse: TRIFLEX.

Por Rodrigo Teixeira

MARCAS: Todos os produtos aqui mencionados são usados somente para fins de identificação, são marcas comerciais e/ou marcas de serviço dos seus respectivos proprietários.

TRIFLEX – Atualização do Banco de dados de materiais – Liga de Titânio

8 de junho de 2011 Leave a comment

Foi disponibilizado um arquivo temporário de atualização do banco de dados de materiais do TRIFLEX. O arquivo insere a liga de Titânio B861 Gr7 no banco de dados.

Para alterar o banco de dados, o usuário deve seguir o procedimento abaixo (o arquivo possui a extensão *.dll, que geralmente é bloqueado por firewalls. Assim, mudamos a extensão do arquivo para *.txt.):

  • Baixe o arquivo de atualização em: www.natecnologia.com.br/rd4nv32.txt
  • Se estiver usando o TRIFLEX no momento dessa atualização, salve as suas alterações e feche-o;
  • Salve o arquivo baixado na pasta de instalação do TRIFLEX 3.3.2;
  • Na mesma pasta busque o arquivo rd4nv32.dll e delete-o;
  • Renomeie o arquivo baixado (rd4nv32.txt) para rd4nv32.dll (em alguns casos a extensão do arquivo pode não aparecer, nesse caso entrar em Painel de Controle > Aparência e Temas > Opções de Pasta > Modo de Exibição e, na janela de Configurações Avançadas, desmarcar a opção “Ocultar as extensões dos tipos de arquivo conhecidos”).

Quando o software TRIFLEX for inicializado, o material em questão já deverá estar contido na tabela K-1 Titanium and Titanium Alloy (High Pressure Piping) da norma B31.3.

Banco de Dados TRIFLEX - Liga de Titânio

Para obter mais informações sobre o software , acesse: TRIFLEX

Por Rodrigo Teixeira.

MARCAS: Todos os produtos aqui mencionados são usados somente para fins de identificação, são marcas comerciais e/ou marcas de serviço dos seus respectivos proprietários.

%d blogueiros gostam disto: