Archive

Posts Tagged ‘tubulação’

Lançamento: CAESAR II v12

1 de julho de 2020 Leave a comment

A Hexagon tem orgulho em anunciar o lançamento do CAESAR II v12, a ferramenta completa para análise de flexibilidade em tubulações. A nova versão inclui várias melhorias para criar, avaliar e gerar eficientemente relatórios dos sistemas de tubulação, de acordo com mais de 35 padrões internacionais de códigos de tubulação, diretrizes ambientais e de equipamentos.

As melhorias, feitas com nossos usuários em mente, incluem:

  • O CAESAR II v12 fez as atualizações necessárias para dar suporte às últimas edições da ASME B31.3, B31.4, B31.8 e Z662 canadense.
  • Economize tempo e dinheiro em seus projetos de tubulação, evitando ensaios desnecessários de impacto. Para tubulações B31.3, esse novo recurso de temperatura mínima do material de projeto pode ajudar a determinar se o teste de impacto é necessário ou não.
  • No ambiente de Piping Input foi adicionado o novo cálculo de flambagem B31.8. Esse novo recurso auxilia convenientemente o engenheiro de flexibilidade de tubulação no cálculo do valor da tensão para determinar os valores de flambagem e instabilidade lateral de um elemento de acordo com B31.8-2018.
  • Maior facilidade de uso em áreas como o módulo de flanges EN-1591, otimização adicional de gráficos, melhorias no desempenho das operações de clique duplo e muito mais!
  • Hospedada na nuvem, nossa nova tecnologia de licenciamento pode funcionar de qualquer lugar em que haja uma conexão com a Internet e até suporta o checkout de licença para uso offline.

O CAESAR II v12 também inclui aprimoramentos de conteúdo de suportes de molas, a adição dos dados estruturais da AISC 2017 e a atualização do banco de dados de materiais russos. As melhorias funcionais incluem melhorias na importação de PCF, importação do AFT IMPULSE e um algoritmo de convergência de atrito reprojetado, melhorando o desempenho.

O CAESAR II v12 inclui todas as ferramentas necessárias para executar análises estáticas ou dinâmicas. Para mais informações sobre o CAESAR II, clique aqui.

Fonte: Hexagon       

Por Equipe N.A Tecnologia

MARCAS: Todos os produtos aqui mencionados são usados somente para fins de identificação, são marcas comerciais e/ou marcas de serviço dos seus respectivos proprietários.

Estudo de Caso: Dimensionamento de uma bomba de reforço com o AFT Impulse ™ evita problemas de contaminação nas instalações de rejeitos

15 de junho de 2020 Leave a comment
Figura 1: Vista da Workspace do AFT Impulse com a linha de 14,6 km (9,1 mi). O cenário escolhido recomendou três bombas montadas em barcaça, uma bomba a diesel e duas bombas auxiliares para se aproximarem da meta de vazão de 6.000 m3/h (26.400 gpm).

Rupesh Soni (engenheiro de processos sênior da Stone Oil & Gas), foi solicitado para projetar e dimensionar uma bomba “booster” para o reforço da estação de bombeamento de uma planta industrial. O objetivo era aumentar o pico de bombeamento de uma unidade de gerenciamento de rejeitos de 4.650 m3/h (20.500 gpm) para 6.000 m3/h (26.400 gpm).

As lagoas da unidade são um ponto crítico de contenção nas operações de mineração e, como tal, é importante regular seu nível de líquido durante ciclones e estações chuvosas para evitar contaminação ambiental. Para gerenciar o nível de água nessa instalação, a água de processo em excesso (como escoamento de rejeitos ou água da chuva) é bombeada através de uma tubulação emissária de 14,6 km (9,1 milhas) da unidade até um difusor no oceano.

O sistema existente consistia em uma bomba de barcaça flutuante localizada na bacia sul da unidade de gerenciamento de rejeitos, que tinha três bombas flutuantes conectadas em paralelo. O projeto original foi classificado para um escoamento de 4.000 m3/h (17.600 gpm) através da tubulação, o que culmina em uma saída marítima de 100 difusores, que drenam o excesso de água.

Para acomodar necessidades futuras de operação, foi determinado que uma nova estação de bomba deveria ser instalada no meio da tubulação. As novas bombas seriam instaladas ao lado da tubulação terrestre existente, a jusante da estação de válvulas, consistindo em duas bombas operando a 50% em paralelo. As bombas auxiliares não seriam necessárias para operação contínua, sendo operadas apenas quando fosse necessário fluxo adicional para gerenciar o nível da unidade. Na maioria dos casos, a estação de reforço seria contornada pela tubulação em operações normais.

Uma conseqüência do aumento da vazão é o aumento da velocidade do fluido acima da velocidade máxima permitida, atingindo 3,3 m/s (11 pés/s) em comparação com o permitido de 2,4 m/s (7,9 pés/s). Isso exigiu análises hidráulicas transitórias e de estado estacionário usando o AFT Impulse para garantir adequação do projeto da tubulação (Figura 1).

Um modelo de simulação em estado estacionário incorporando as bombas suplementares movidas a diesel foi comparado aos dados da planta fornecidos pelo cliente. Um fator de perda adicional K foi especificado para corresponder o modelo do AFT Impulse com os dados da planta, contabilizando as perdas de pressão no sistema sem modelar um grande número de cotovelos ou acessórios similares. O difusor de emissários marítimos foi modelado como um componente de fluxo geral, ajustando uma única curva de resistência para contabilizar as perdas em todas as saídas individuais.

A pressão de descarga nas bombas temporárias no modelo foi de 645 kPa (93,5 psig) em comparação com os 650 kPa (94 psig) relatados pelo cliente. A vazão da tubulação modelada foi de 4.660 m3/h (20.520 gpm) em comparação com os 4.650 m3/h relatados (20.470 gpm). Essas diferenças foram insignificantes e indicaram concordância positiva entre o modelo de simulação e o sistema de tubulação existente.

Usando o modelo calibrado, Rupesh Soni poderia dimensionar as bombas auxiliares sem interferir na tubulação. Ele testou essas bombas dimensionadas em condições de tubulação com incrustação para garantir que as linhas de gradientes hidráulicos (HGL) fossem suficientes para o fluxo e a carga operacional máxima permitida dos tubos não fosse excedida. Ele também experimentou com outras combinações de bomba para encontrar a vazão máxima possível, infelizmente abaixo da vazão de projeto desejada devido a incrustação na tubulação. A limpeza melhoraria facilmente a vazão máxima.

O AFT Impulse ajudou Rupesh Soni a finalizar a ficha de dados da bomba de reforço, permitiu-lhe analisar a carga máxima de operação da tubulação (MAOH) e garantir que houvesse HGL suficiente. Ele disse que as horas trabalhadas na finalização da ficha de dados da bomba de reforço, instrumentação relacionada e criação de modelos de estado estacionário e transitório para vários cenários foram significativamente reduzidas usando o AFT Impulse.
Por fim, sua análise resultou em custos reduzidos e um cronograma mais curto para o projeto de montante fixo.

Figura 2: HGL em estado estacionário para tubulação, com 3 bombas de barcaça + 2 bombas de reforço. Esta análise indicou gradiente suficiente para garantir o fluxo sem exceder a carga operacional permitida dos tubos.

Webinar: Transferência eficiente de dados de tubulação usando a interface PCF

15 de maio de 2020 Leave a comment

Data: 21/05/2020
Horário: 12:00hs (horário de Brasília)
Duração: 1 hora
Custo: gratuito

Registre-se aqui para o webinar

A interface PCF é usada para importar automaticamente informações de input para o CAESAR II a partir de softwares de projeto 3D como CADWorx, Smart Plant, etc. O objetivo é criar um modelo CAESAR II que esteja completo, pronto para execução e que não contenha erros e, portanto, forneça aos engenheiros de estresse um processo automático e confiável para coletar dados dos modelos 3D existentes. Para atingir esse objetivo, o mapeamento PCF permite definir a correspondência adequada de palavras-chave PCF para os atributos do CAESAR II. Neste webinar, discutiremos CAESAR II Import PCF, Advanced PCF Import (APCF) e mapeamento PCF. Depois de assistir a este webinar, você deve ganhar confiança suficiente para definir o melhor fluxo de trabalho para transferir dados de tubulação de projetistas para engenheiros.

Fonte: Hexagon

Por Equipe N.A Tecnologia

MARCAS: Todos os produtos aqui mencionados são usados somente para fins de identificação, são marcas comerciais e/ou marcas de serviço dos seus respectivos proprietários.

Webinar: Aproveitando o CAESAR II e o FEATools com PRG

22 de abril de 2020 Leave a comment

Data: 28/04/2020
Horário: 12:00hs (horário de Brasília)
Duração: 1 hora
Custo: gratuito

Registre-se aqui para o webinar

Junte-se a nós em 28 de abril para aprender com especialistas neste webinar conjunto com Tony Paulin, fundador do Paulin Research Group. Esta apresentação técnica cobrirá:

  • Aviso de alto valor de D/t, tanques, vasos de pressão e flambagem de tubos, juntamente com recomendações para WRC107/ 37 e NozzlePRO.
  • Avaliações automatizadas de sapatas para modelos de CAESAR II. Isso ajuda os usuários a avaliar instantaneamente as práticas da indústria de processo e/ou a tecnologia de tubulação e produtos. Os locais de suporte sobrecarregados são identificados no modelo e as cargas computadas do CAESAR II são verificadas em relação às cargas permitidas que são uma função da geometria da sapata, diâmetro do tubo e espessura da parede.
  • Localização automatizada do flange e verificações de tolerância para os modelos CAESAR II.

O FEATools melhora a qualidade da análise dos usuários do CAESAR II para linhas de serviço essenciais, incorporando a análise de elementos finitos (FEA) e outras fontes empíricas ao processo de avaliação. Ao usar o CAESAR II em combinação com o FEATools, os sistemas analisados ​​não são superprojetados ou subprojetados, mas projetados com fatores de segurança consistentes, o que também economiza tempo e dinheiro.

Fonte: Hexagon

Por Equipe N.A Tecnologia

MARCAS: Todos os produtos aqui mencionados são usados somente para fins de identificação, são marcas comerciais e/ou marcas de serviço dos seus respectivos proprietários.

Lançamento: AFT Arrow 8

8 de abril de 2020 Leave a comment

A Applied Flow Technology lançou o AFT Arrow 8, que incorpora quase 30 novos recursos e aprimoramentos para permitir que engenheiros de todo o mundo calculem com precisão a perda de carga e a distribuição de fluxo em sistemas de tubulação e dutos de gás.

Os novos recursos do AFT Arrow 8 incluem:

  • Comparação de vários cenários: os dados podem ser comparados entre vários cenários para mostrar as alterações feitas;
  • A taxa de compressão pode ser usada para definir o desempenho do compressor;
  • Desfazer e refazer vários níveis na área de trabalho;
  • Todos os parâmetros de saída resumidos agora podem ser exibidos no relatório visual;
  • Clique duas vezes em uma junção na caixa de ferramentas para adicionar várias ao espaço de trabalho (semelhante aos tubos);
  • Converter elevações intermediárias em novas tubulações e ramificações;
  • Agora é possível salvar “alertas de projeto” e carregar de um arquivo.

Por mais de 25 anos, o AFT Arrow ajuda os engenheiros a trabalhar de maneira mais inteligente e segura. Os engenheiros apreciam a capacidade do AFT Arrow de simular com precisão componentes individuais e sua interação, incluindo efeitos de transferência de calor, gases reais e fluxo bloqueado. Não importa quão complexo seja o sistema, o AFT Arrow integra fortemente as características, análises e saídas do equipamento com a representação esquemática do seu sistema.

“O AFT Arrow é o software de simulação de fluxo compressível em tubulações mais capaz do mercado. O AFT Arrow 8 oferece inúmeras melhorias de usabilidade. Ele foi desenvolvido para ajudar os engenheiros a projetar sistemas de tubulação de gás mais seguros e confiáveis ​​do que nunca ”, afirma Trey Walters, P.E., presidente da Applied Flow Technology e ASME Fellow.

Fonte: AFT – Applied Flow Technology

Por Equipe N.A Tecnologia

MARCAS: Todos os produtos aqui mencionados são usados somente para fins de identificação, são marcas comerciais e/ou marcas de serviço dos seus respectivos proprietários.

%d blogueiros gostam disto: